Palestra: “A Prece” com Isabel Verdin

Gravação especialmente produzida para o Centro Espírita Padre Zabeu Kauffman, de Indaiatuba (SP), em maio de 2020.

TEMA: “A Prece”

Expositora: Isabel Verdin

Referência:

  • Evangelho Segundo o Espiritismo Capítulo XXVII: Pedi e obtereis

Transcrição da palestra espírita:

Que a paz de Jesus esteja em nossos lares, esteja em seu coração, e que possamos, nesse momento, então, fechar os nossos olhos materiais, elevando a Deus o nosso agradecimento por estarmos aqui.

E agradecer a Deus pelo dom da vida, agradecer a Jesus nosso irmão querido, por ser nosso melhor exemplo, agradecer à mãe Maria e aos nossos mentores, à espiritualidade que nos acompanha, nos fortalecem e nos protege.

Pai nosso que estais nos céus, santificado seja o vosso nome, venha nós o vosso reino, seja feita a vossa vontade, assim na terra como nos céus.

O pão nosso de cada dia nos dai hoje, perdoai as nossas ofensas, assim como nós perdoamos a quem nos tem ofendido e não nos deixeis cair em tentação mas livrai-nos de todos os males que assim seja graças a Deus e graças a Jesus.

Vamos conversar um pouquinho hoje sobre o valor da prece. Então eu vou fazer a leitura de um trechinho do Evangelho segundo o espiritismo.

“O que é a prece? A prece é um traço de união entre o céu e a terra, é o orvalho divino que destrói o maior calor das paixões. Filha a primogênita da fé, ela nos conduz ao caminho que leva a Deus.

No recolhimento e na solidão, estás com Deus. Para vós não há mais mistérios eles se vos revelam.” Santo Agostinho, Evangelho segundo espiritismo.

Com essas palavras, nós trazemos à nossa realidade, o que é a prece, qual é a potência dessa prece e quando o santo Agostinho diz que ela é filha primogênita da fé e que ela nos conduz ao caminho que leva a Deus.

É muito lindo a gente pensar desta forma, porque nós entendemos que através da prece nós conseguimos invocar a Deus. Nós nos colocamos em comunicação mental com ele e através dos nossos corações também.

Porque a prece, segundo o Evangelho, ela precisa ser clara, ela precisa ser honesta, ela precisa ser simples, ela precisa vir do coração. Então quando nós nos dirigimos a Deus para um aconselhamento, para um pedido, porque prece tem tudo isso, não é!? Nós pedimos a Deus, nós agradecemos, mas eu acho que mais a gente ainda pede do que a gente agradece. Nós fazemos um pedido por alguém.

Então, se nós formos pensar um pouquinho mais sobre, até a prece, vamos perceber que a prece ela é o nosso pensamento bom, também.

Então quando nós fazemos a nossa prece direcionada para as pessoas que nós gostaríamos que fossem favorecidas, nós estamos elevando a nossa maior caridade para conosco, mas para com os nossos irmãos.

Porque quando nós oramos por alguém, a pessoa não sabe muitas vezes, é o maior ato de amor, quando nós pedimos por alguém é um grande ato de amor, quando nós fazemos preces a Deus pelos nossos amados entes queridos, nossos filhos, nossos pais, nossos irmãos, nossos companheiros, nossas famílias, nossos amigos. Nós estamos levando até Deus todo nosso amor, envolvendo essa pessoa que está sendo favorecida.

Mas muitas vezes nós fazemos pedidos a Deus também e nós ficamos equivocados, pois nós achamos que quando a gente pede, Deus imediatamente vai nos ouvir e nos atender.

Mas as coisas não saem muito desta forma, não é!? Porque não sabemos que como um bom pai, Deus não vai nos dar tudo o que queremos, tudo que nós desejamos, tudo que nós pedimos.

Mas ele vai nos permitir, ele vai nos conceder o que é necessário para nós, para que a gente cresça para que a gente amadureça.

Quando nós vamos passar por uma cirurgia, nós percebemos que na verdade a cirurgia causa dor, e nós precisamos passar pela dor para que então nós possamos resolver o nosso problema de saúde.

Então muitas vezes nós achamos que Deus é muito mal de permitir que a gente sofra, ou que as nossas orientações, a nossa intuição, através dos nossos mentores, ela deveria vir no outdoor, clara.

Mas nós nos esquecemos mais uma vez que Deus nos permite o livre arbítrio e que nós vamos sim pedir algumas coisas a Deus, mas tudo virá conforme o nosso merecimento, conforme a nossa necessidade.

Se não nós vamos ter direito a escolher. E que mérito nós teríamos nessa reencarnação, onde nós estamos buscando o nosso crescimento espiritual, nossa evolução pessoal se Deus nos dá tudo ou se os nossos mentores nos assopram as ideias corretas. Seriam eles que estariam nos conduzindo através de escolhas, através de constatação de que “Olha, tá feito, é assim que você deve fazer.”

Como se fosse um manualzinho e a vida não é assim. Nós precisamos passar por provas, por desafios. Mas aí Deus nos permite algumas coisas que nos aproximam dele e a prece é uma delas.

A prece, eu diria que é a maior manifestação de carinho, de amor, de atenção que nós poderíamos ter, porque quando você fecha os olhos e faz essa conexão com Deus, você se entrega, é como se as palavras viessem fáceis.

É como se você não precisasse vigiar mais nada e fechando os olhos você também não vai estar vigiando os atos alheios ou a situações que acontecem ao seu redor.

Tem uma passagem, uma parábola que fala dos dois homens que oravam numa sinagoga, o fariseu e o publicano. O fariseu ficou em pé e publicano mais atrás dele, mais simples ajoelhado. E o fariseu se engrandecia na sua oração, dizendo “Que bom que Deus não o fez como aquele outro” e o publicano dizia “Me perdoa, Pai.”

Bom, então assim a gente percebe que a prece, ela vem também nos auxiliar nessa lapidação, que a gente pode na verdade se transformar. Que nós possamos trazer a nossa humildade através da prece.

Porque nós estamos pedindo, pedindo a Deus alguma coisa que nós sabemos que ele sabe que nós estamos precisando, mas nós precisamos ter a humildade de pedir.

Porque nós também, quando pedimos, nós acreditamos que vamos conseguir que vai ser concedido. Deus conhece essas nossas intenções, necessidades.

Mas nós é que precisamos entender que nós que estamos buscando esse crescimento nesse momento e nesta vida.

O presente, que nós estamos vivendo, é o melhor presente que nós recebemos de Deus e que muitas vezes nós não conseguimos dar valor a ele.

Então quando nós pensamos na prece, quando nós oramos por alguém, nós estamos nos colocando claramente a partir de então, deixamos os nossos corações livres e à vontade.

Os nossos pensamentos, quando eles se conectam a Deus, nós percebemos que nós ficamos mais tranquilos, nós ficamos mais conscientes, mais confiantes que Deus nos dá mais esperança para a vida.

E então, por que é necessário a prece? Porque nós percebemos que passamos por momentos difíceis, que passamos por situações difíceis, por provações e nas nossas preces nós colocamos sim, até Deus, levamos até Deus, humildemente.

Não tantas vezes mas a maior parte delas quando nós tivermos o despertar porque nós entendemos que Deus vai nos permitir o que for necessário para nós.

Para o nosso crescimento espiritual, para o nosso melhoramento. Então nós percebemos que muitas vezes, nós não utilizamos as preces da forma como elas podem ser utilizadas.

E a prece, ela é alegre. Aprece, ela traz um poder de conexão muito grande, nós damos valor à prece quando nós percebemos que nós conseguimos atingir a comunicação maior com Deus.

E curiosamente, quando nós conseguimos atingir esta comunicação maior, nós percebemos até que nós nem tivemos a nossa necessidade atendida da forma como nós queríamos mas como Deus sabia que nós precisaríamos.

Como bom pai, ele sabe o que é necessário. Ele sabe o que vai nos ajudar nessa trajetória. Como pais, educadores aqui terrenos, o que nós fazemos para nossas famílias, para os nossos filhos?

Nós damos aos nossos filhos tudo que eles nos pedem? Tudo o que eles querem? Ou nós damos a eles o que eles precisam, o que eles necessitam?

Então Deus também vai fazer isso para nós. Ele vai nos dar as respostas, nós vamos receber a intuição através dos nossos mentores, de acordo com que nós precisamos naquele momento e não o que nós queremos. 

E não nos esquecendo que tudo tem um plano divino e um plano divino de ação, plano divino de vida mesmo. Um plano divino que nós aceitamos ao reencarnar.

E que muitas vezes nós queremos até abandonar, porque achamos que é difícil o caminho, mas aí vem novamente a qualidade da prece.

E quando Santo Agostinho fala que a prece é a filha primogênita da fé, é muito bonito

isso. Porque o que é a fé?

A fé não é eu acreditar que Deus está comigo, mas é o confiar. E o que é confiar? É entregar a Deus a minha vida. Então, é algo tão maravilhoso, nós pensarmos que a fé a prece, a caridade já estão todas interligadas.

Porque quando você fala de fé e a fé tem essa potência, de a gente entregar a Deus a nossa vida, entregar a Deus, confiar a ele os nossos problemas, as nossas angústias, as nossas aflições, nós estamos colocando para Deus todo o nosso amor em forma de prece. Porque nós estamos na realidade vivenciando aquele momento de dor, de transformação de angústia, de sofrimento maior.

Mas mesmo assim nós estamos dizendo para ele. Pai, eu entrego a minha vida a ti, faça o que for melhor. Que é o que nós fazemos na oração do Pai Nosso que é uma das preces mais lindas que nós fazemos diariamente. E sem, muitas vezes, ter noção do que nós estamos falando ou como nós estamos falando.

Porque na prece do pai nosso nós dizemos, pai, seja feita a vossa vontade. Seja feita a vossa vontade, assim na terra como no céu.

Quando nós vemos uma criança caindo, o que nós fazemos? Qual é o nosso primeiro impulso? O de imediatamente correr e erguê-la. Se eu fizer isso ela vai se acomodar e achar que ela não tem capacidade nenhuma para se levantar sozinha.

Agora, se ela cai e eu permito que ela se levante, se esforçando para levantar, eu vou fazer com que ela também passe a confiar nesse poder dela.

Deus faz isso conosco também, através da nossa vida, através da nossa oportunidade de sofrimento também.

Então nós temos essa possibilidade, nós temos essa facilidade de achar que tudo pode ser mais fácil e como é bom sabemos que alguém está correndo para nos levantar a todo momento.

Só que nós não percebemos que Deus nos carrega uma grande maioria das vezes, os problemas que nós passamos na vida.

Então nós já vimos muitos exemplos de onde as pessoas se transformaram pela dor. O Paulo, que antigamente era Saulo, é um deles. Quando ele diz “Porque você me persegue, Saulo?”

E ele fica naquele momento ele cai às portas de Damasco e Deus está ali com ele e quando ele se levanta ele se torna uma outra pessoa. Só que o sofrimento dele se deu através de uma escolha dele. Ele escolheu.

Quem é esse Deus? Quem é esse Jesus que encarnou, quem é esse Jesus que foi esse maior exemplo e que as pessoas falam tanto dele?

Eu quero conhecê-lo. Mas através das pessoas que ficaram aqui, como seus exemplos. E aí ele se prepara com a grande transformação da vida dele.

Então nós percebemos que a maior parte das vezes em que nós pedimos para que Deus nos encoraje, significa que nós sabemos que aquela provação não será fácil, mas muitas vezes nós encontramos Deus nas preces quando nós só estamos mesmo na maior dificuldade.

Por isso que é trazido questão da fé, da prece, do amor, da caridade e por isso a questão do acreditar, do confiar em Deus.

Tem uma uma passagem, um exemplo de uma mãe, ela foi até uma mercearia e ela tinha alguns filhos pequenos. O marido estava desempregado e ela chegou nessa mercearia e pediu para que o dono dessa mercearia vendesse para ela as coisas que ela precisasse, os alimentos que ela precisasse.

E depois quando o marido dela se restabelecesse, ela iria pagar. E o dono daquela mercearia já disse com todas as letras “Não, aqui eu não vendo fiado.”

Tinha um outro senhor na loja e disse para ele, “Veja o que ela precisa que eu vou pagar”. Ele disse, “Não precisa se preocupar com isso.” E era um senhor distinto que tinha boas intenções.

E nesse momento o dono da mercearia disse assim para ela: “Vamos fazer diferente, você tem anotado aí tudo que você precisa, tudo,  mantimentos…”

Aí ela pegou um papelzinho e começou a escrever o que ela precisava então e ele disse assim nós vamos colocar na balança se a balança pesar o seu pedido tudo que a balança pesar eu te darei em mantimentos.

E ela fez uma oração naquele momento pegou um pedaço de papel e começou a escrever e quando ela entregou para o dono da mercearia, aí ele colocou sobre a balança e curiosamente a balança desceu, no máximo.

Ela tem que ser aquele momento ela fez a oração dela aqui entregou a Deus, porque no papelzinho simplesmente estava escrito assim “o senhor é meu pastor e nada me faltará.”

É lógico que o dono da mercearia ficou muito assustado e concedeu tudo o que é balança podia pesar naquele momento.

Então, a gente pensa assim, quantas vezes não somos levados realmente a escrever neste bilhetinho “O senhor é meu pastor e nada me faltará.”

E quantas vezes nós pedimos a Deus, entregando a nossa vida a ele, entregando os propósitos maiores, não só por nós mas pelos nossos amados.

E que fantástico o que é pensar que Deus nos permite, através da prece poder realizar esse ato de tanto amor, com tanta fé realizar a caridade ao próximo.

Então, nós percebemos que a prece ela tem as suas qualidades, as suas ações e que é muito importante, quando nós realizamos a prece que ela seja levada a Deus com os nossos melhores pensamentos.

Com pensamentos de amor, com um coração alegre, com um coração que sabe que vai receber a paz de Jesus e eu agradeço vocês todos por esta companhia, nessa reflexão e que possamos então nos encher de amor e de paz para conversar com Deus através dos nossos pensamentos.

E através das preces, que tenhamos fé, que tenhamos esperança em Deus porque nós sabemos que ele é o melhor pai e que ele não nos desampara nunca, jamais e que ele está sempre conosco.

E nesse momento, então, eu gostaria mais uma vez de pedir a vocês que nós possamos nos unir neste agradecimento fraterno com o coração alegre.

Agradecer a Deus pela oportunidade de estarmos aqui orando e refletindo sobre as palavras que Jesus nos deixou através do Evangelho. Agradecemos toda a proteção e todo o amor.

E que possamos então permitir que em nossos lares, Jesus possa trazer a paz, trazer o amor através das nossas orações, através dos nossos bons pensamentos, através da nossa fé e da nossa caridade.

Que possamos estar agradecidos, confiantes e agradecer a Deus, este irmão querido que nos abraça neste momento, que nos dá a mão e caminha conosco nesta vida, que assim seja.

Graças a Deus e graças a Jesus.