Palestra: “Brasil, Coração do Mundo, Pátria do Evangelho” com Márcia Chanchetti

Gravação especialmente produzida para o Centro Espírita Padre Zabeu Kauffman, de Indaiatuba (SP), em abril de 2020.

TEMA: “Brasil, Coração do Mundo, Pátria do Evangelho”

Expositora: Márcia Chanchetti

Referências:

  • Livro Brasil, Coração do Mundo, Pátria do Evangelho de Francisco Cândido Xavier pelo espírito de Humberto de Campos

Transcrição da palestra espírita

Olá, pessoal. Que a paz do Cristo esteja conosco hoje e sempre. E principalmente nos dias de hoje em que enfrentamos esses momentos de grandes perturbações.

Mas que a nossa fé, a nossa esperança não deve ser consumida por esses pensamentos. Precisamos sim estarmos firmes na fé, na esperança de que dias melhores se farão dentro do nosso mundo, do nosso planeta.

E nesse momento, para que a gente possa ter algumas reflexões a respeito da mensagem que temos para passar para vocês, para que tudo isso amenize mais esses momentos de angústias.

Nós vamos então iniciar fazendo a leitura desse livro aqui (mostra o livro) de Jesus, pela Carlos Bacelli que fez a psicografia através do irmão José.

Chama-se: “Orai e Vigiai.” Gosto muito desse livro. Então vamos ler. Saúde. Olha que a gente abriu aleatório aqui.

A saúde é também um estado da alma, os pensamentos negativos envenenam as células e comprometem o funcionamento dos órgãos.

Cuidar do corpo não é somente exercitá-lo, o cérebro é um dínamo gerador de energias. Quem cede espaço mental para a imaginação doentia, acaba no desequilíbrio.

Toda trama infeliz se articula em silêncio, se queres estar sempre bem fisicamente, saneia os teus pensamentos. Vou repetir: “Se queres estar sempre bem fisicamente, saneia os teus pensamentos”.

Arreja as tuas ideias e não conspurques os teus sentimentos. Não percas tempo em discussões e polêmicas sobre tudo.

Não te permitas mais de uma hora ociosa por dia. Então está aqui na página 77 no item “saúde” do livro Vigiai e Orai de Carlos Baccelli pelo espírito de irmão José.

Hoje a gente gostaria de fazer a nossa preparação e em seguida fazermos essas reflexões sobre o nosso Brasil.

Nesse momento nós vamos fechar os nossos olhos, pedir a proteção infinita da espiritualidade maior.

De Jesus, nosso mestre, nosso grande amado, nosso grande irmão, senhor do nosso planeta terra.

Que as tuas energias, mestre, possam envolver nosso planeta. Todos nós que passamos por essa provação. Mas que sabemos, mestre, que só a tua luz, só a tua paz e o teu amor, vão nos proporcionar para que passemos esses momentos de muita dor.

De uma forma mais tranquila, alicerçados na fé que deve ser inabalável, que deve ser aquela que nos sustenta.

E assim nós vamos iniciando as reflexões dizendo: “Pai nosso que estais no céu, santificado seja o vosso nome, venha a nós o vosso reino, seja feita a vossa vontade, aqui na terra como nos céus”.

“O pão nosso de cada dia nos dai hoje, perdoai as nossas dívidas, assim como nós perdoamos os nossos devedores, mas não nos deixes cairmos em tentações, livrando-nos de todo mal, porque teu é o reino, poder e glória para sempre”. Que assim seja.

Eu só peço que vocês me perdoem, eu estou um pouquinho gripada, então a voz hoje está um pouquinho difícil. Mas enfim, vamos lá às nossas reflexões.

A gente escolheu para esse dia um tema chamado “o bom pastor”. Então, na parábola do bom pastor, Jesus juntamente com seus discípulos diz: “O que vos parece? Se um homem tem 100 ovelhas e uma delas se extravia, não deixa as 99 e vai aos montes procurar a que se extraviou?”.

“Se acontecer de achá-la, em verdade vos digo, que se regozija mais por causa desta do que pelas 99 que não se extraviaram.” Assim é da vontade do vosso pai que está nos céus, que não pereça nenhum desses pequeninos.

A parábola nos mostra claramente que todas as almas transviadas não ficarão perdidas nos labirintos das paixões que envolvem todo o nosso planeta.

Onde ficam nós, ovelhas perdidas, ovelhas desgarradas, que estamos aqui nesse planeta de provas e expiações, porque ainda não aprendemos as lições de Jesus.

Então ele traz o seu Evangelho, os seus ensinamentos para nós, para que absorvendo no nosso coração e na nossa mente os seus ensinamentos, possamos ter essa certeza infinita que ele está todo tempo nos procurando.

E nós que muitas vezes não o procuramos, nós deixamos nos envolver, nos abater, por tudo o que se passa pela nossa vida material, preocupados com as coisas da matéria e esquecemos de primeiro buscar o reino dos céus, que tudo mais nos será acrescentado.

E falando um pouco a respeito desses momentos eu gostaria de trocar com vocês umas ideias, umas reflexões a respeito do livro “Brasil coração do mundo pátria do evangelho”.

Esse aqui é o meu, ele é um pouquinho antigo, tem edições mais novas que vocês podem estar procurando se alguém se interessar, nas nossas livrarias.

Mas esse livro foi ditado em 1938 pelas mãos do nosso amado Chico Xavier, através do espírito Humberto de Campos.

Então dados desse livro “Brasil coração do mundo pátria do evangelho” foram recolhidos, diz o livro, por Emanuel, prefácio.

Que esses dados foram recolhidos nas tradições do mundo espiritual, onde os espíritos desvelados, os amigos espirituais se reúnem constantemente para os grandes sacrifícios em prol da humanidade.

Então se reúnem muitas falanges, muitos espíritos, que com o propósito de ajudar a impulsionar a humanidade, eles então se sacrificam.

Saem das luzes luminosas, dos orbes luminosos onde se encontram por merecimento e descem aqui ao planeta de provas e expiações para nos ajudar, para nos alavancar, para serem exemplos para que nós possamos dar um passo maior dentro da nossa evolução.

E aí dentro do livro, Emanuel continuando no prefácio, ele diz o seguinte: “O Brasil não está somente destinado a suprir as necessidades materiais dos povos mais pobres do planeta, mas também a facultar ao mundo inteiro uma expressão consoladora de crença e de fé raciocinada”.

“A ser o maior celeiro de claridades espirituais do orbe inteiro”. Olha o propósito que Jesus tem para o nosso Brasil e para nós que fazemos parte dessa pátria.

Tudo isso, esse traçado para nós, esse propósito que Jesus tem para o nosso país, só se completará realmente através das nossas mãos, através de nós, que somos os operadores, principalmente nesses momentos de dor e sofrimento.

Então Humberto de Campos nesse livro, ele fala, que Jesus transplantou da Palestina para a região do Cruzeiro a árvore magnânima do seu Evangelho.

A fim de que os seus rebentos dedicados florescessem de novo, frutificando em obras de amor para todas as criaturas.

Então Jesus traz a árvore do Evangelho, transporte da Palestina e plantou aqui nas terras do Cruzeiro.

E o livro vai relatando, todo o processo, todo o propósito que Jesus empreendeu através dos seus aliados, dos seus mensageiros, para que isso ocorresse.

Então ele continua dizendo: “Nessa abençoada tarefa de espiritualização, o Brasil caminha na vanguarda, o material a empregar nesse serviço não vem das fontes de produção originalmente terrena e sim do plano invisível onde se elaboram todos os trabalhos construtores para essa empreitada.”

E aí o livro vem trazendo, que foi, o evangelho, quando ele foi implantado, ele percorreu todo esse caminho já há dois mil anos que o evangelho foi plantado na região da palestina.

O Brasil nem tinha sido descoberto ainda, na verdade as Américas não tinham sido descobertas ainda.

E aí então, o livro nos diz que das guerras, das cruzadas, às sombras da idade medieval, confundiu-se as lições do Evangelho, ensanguentando todas as bandeiras do mundo cristão.

Foi nessa época, também, no último quarto do século XIV, o Brasil ainda não tinha sido descoberto, que o senhor o nosso bom pastor desejou realizar uma de suas visitas periódicas à terra.

A fim de observar os progressos da sua doutrina e dos seus exemplos no coração dos homens, uma grande corte celestial acompanha o bom pastor, que desce então para as trevas do planeta.

Jesus então vai até o local onde tinha plantado o seu evangelho, o ninho de amor que havia deixado aqui no planeta.

Francisco de Assis já havia estado e já haviam cessado os seus gritos de amor, no século Francisco de Assis nasce, se eu não me engano, em 1128 e mais ou menos nessa época, desse século de 1100 a 1200, nesse período onde ele vem e grita que o amor que Jesus tinha trazido e que o mundo ainda não o tinha compreendido.

E aí, então Jesus e seus emissários já procuravam onde o Evangelho havia sido implantado. Então Jesus vai até aquele local, na Palestina, naquela região e toda a corte que o acompanhava percebe através do olhar de Jesus, uma amargura.

Porque se apoderam de seus querubins e apodera de seus arcanjos, porque eles percebem a tristeza de Jesus.

Ele chega e vê a sua árvore de amor, o seu Evangelho implantado e os homens não o receberam, e aí então todo o cortejo que está com ele se entristece de ver a tristeza de Jesus.

E aqui no livro, ele diz assim (corte no vídeo) foi quando em uma das… (corte no vídeo) ele e eu vendo a amargura de Jesus naquele momento, ele fala assim para Jesus, tentando renovar a impressão daquele ambiente triste.

E ele diz a Jesus o seguinte: “Senhor, esses povos infelizes que procuram na grandeza material uma felicidade impossível, marcham irremediavelmente para os grandes infortúnios coletivos”.

“Visitemos os grandes continentes, ignorados ainda.” Porque o continente americano não tinha ainda sido descoberto. “E onde os espíritos jovens e simples aguardam somente uma vida nova”.

“Nessas terras para além dos grandes oceanos, poderias, senhor estar lá o pensamento cristão, dentro das doutrinas do amor e da liberdade.”

E a caravana então, nesse momento, após esse abatimento se sente novamente empolgada e fulgurante, e se dirige então, deixando um rastro de luz na imensidade dos espaços.

E Elieu então encaminha toda a caravana para o continente do mundo americano, aqui das américas.

O senhor então chega, abençoa aquelas matas virgens e misteriosas enquanto as aves lhe homenageavam a inefável presença. Presença do Cristo.

Cheio de esperanças, emociona-se o coração do mestre, contemplando a beleza do sublimado espetáculo.

Aí ele se dirige a Elieu, que era o responsável pela caravana, e pergunta a ele “Elieu, onde fica nestas terras novas, o recanto planetário, no qual se enxerga o infinito símbolo da redenção humana?

Esse lugar de encantos, mestre, onde se veem no mundo as homenagens dos céus, aos vossos martírios na terra, fica mais para o sul.

E quando, no seio da paisagem repleta de aromas e melodias, contemplavam as almas santificadas os orbes, felizes na presença do cordeiro, as maravilhas daquela terra, que seria mais tarde o Brasil.

Desenhou-se no firmamento, formado de estrelas rutilantes, nos jardins das constelações de Deus, o mais imponente de todos os símbolos.

Mãos erguidas para o alto, como se invocasse a benção do pai, para todos os elementos daquele solo extraordinário e opulento.

Exclama, então Jesus: “Para essa terra maravilhosa e bendita, será transportada a árvore do meu evangelho de piedade e amor, no seu solo dadivoso e fertilíssimo, todos os povos da terra empreenderão a lei da fraternidade universal.”

“Sob estes céus, serão entoadas as hosanas mais ternas à misericórdia do pai celestial.”

“Sob estes céus, serão entoadas as hosanas mais ternas à misericórdia do pai celestial.”

Aqui, Elieu, sob a luz misericordiosa das estrelas da cruz, ficará localizado o coração do mundo, consoante a vontade piedosa do nosso senhor, todas as suas ordens foram cumpridas integralmente.

Daí alguns anos o seu mensageiro, aquele que trouxe toda essa corte espiritual aqui para conhecer as terras onde seria implantado o evangelho de Jesus, ele Elieu, vem então, o mensageiro de Jesus, se estabelecer na terra em 1394.

Como filho de Dom João I e de Dona Filipa de Lancastre e foi o heróico infante de Sagres, ele nasceu em Portugal, para que futuramente ele viesse então descobrir, ajudar na descoberta daquele planejado por Jesus através dele.

Então ele vem. “O infante de Sagres que operou a renovação das energias portuguesas, expandindo as suas possibilidades realizadoras para além dos mares, foi por isso que o Brasil, onde confraternizam hoje todos os povos da terra e onde será modelada a obra imortal do evangelho do cristo, muito antes do Tratado de Tordesilhas, que fincou as balizas das possessões espanholas, trazia já em seu contorno a forma geográfica de coração do mundo”.

Vocês me perdoem eu ficar emocionada toda vez que eu leio esse trecho, eu fico assim, muito encantada e feliz. É uma emoção feliz, de saber que nós estamos aqui, os brasileiros, nesse planeta, para ajudar nesses momentos tão difíceis.

Porque passamos e ainda iremos passar. Mas com nossa dedicação, com a nossa vontade e com a nossa fé, nós realmente conseguiremos vencer todos os obstáculos.

E nesse livro então, o qual eu recomendo, neste livro vão sendo retratados todos os episódios históricos e espirituais que se conjugam para tal empreitada, para a empreitada do pensamento do Cristo para a nossa pátria.

A destinação do Brasil para dias amargos que se instalarão no planeta. Então hoje, vendo tudo isso que está se abatendo.

Esse virus que veio realmente varrendo todo o planeta, veio assim de uma forma quieta, oculta, sem fazer barulho e veio e vai indo.

Levando e ceifando muitas vidas, trazendo assim muitas aflições, é nesse momento que nós, que estamos dentro dessa doutrina maravilhosa, doutrina onde nos traz todo o consolo.

Porque a doutrina espírita é o consolador prometido por Jesus. Então que esse consolo possa cair dentro dos nossos corações, dentro da nossa alma.

Para que a gente leve esse consolo para todos aqueles que estão precisando nesse momento.

Que possamos, então, através de Jesus e dos seus mensageiros. Que essas falanges de Ismael, possam aliadas a quantos desvelam pela obra divina e pela sua obra divina reunir todo o material disperso.

Que a pátria do evangelho possa acender no conserto dos povos, irradiando a paz, irradiando a fraternidade que alicerçam indestrutivelmente, todas as tradições e todas as glórias desse país.

Então Ismael é o anjo tutelar que recebeu de Jesus a missão de implantar aqui no nosso Brasil a bandeira de Jesus, a bandeira do Evangelho.

Essa árvore que foi transplantada como esse livro nos esclarece, da Palestina para o nosso querido país.

Então, que possamos nesse momento, só agradecer por estarmos aqui nesse instante, vendo e presenciando esses momentos de que nós somos chamados a prestar a nossa colaboração,

Então, encerrando aqui o nosso evangelho, desta manhã, a gente vai fazer o nosso encerramento.

Pedindo que nesses dias de provação. Nos dias de provação, como nas horas de venduras, estejamos irmanados numa doce aliança de fraternidade e paz indestrutível.

Dentro do qual deveremos esperar as claridades do futuro. Não nos compete estacionar em nenhuma circunstância e sim marchar sempre com a educação e com  a fé realizadora, ao encontro do Brasil na sua admirável espiritualidade e na sua grandeza imperecível.

Então que Jesus nos abençoe, considerando acima de tudo, que essas realizações através da luz que desce sobre o nosso planeta, especialmente o nosso Brasil possa irradiar a todos e a tudo.

E que através das nossas preces, através da nossa fé, que a gente possa estar amparando para que tudo isso passe o mais rápido possível dentro das leis do nosso querido pai, do nosso Deus.

Que está, nesse momento, nos envolvendo no amor de pai.

Então nós vamos pedindo nesse instante, encerramento dessas pequenas reflexões e estabelecer aqui nesse instante.

Que Jesus, nosso mestre, abra seus braços de luz, para com todos os povos, envolva o nosso planeta terra.

Trazendo, nesse momento em que passamos por essa provação, trazendo muita paz e principalmente a fraternidade entre nós.

Então nesse instante vamos pedir, a todos aqueles que estão doentes, que fazem os tratamentos nas casas espíritas.

Que nesse instante possam receber a saúde, paz, o remédio necessário, através daquele médico dos pobres, Bezerra de Menezes, que com sua falange de espíritos de médicos, enfermeiros, psicólogos, possam trabalhar nesse instante, através das nossas vibrações.

Para que todos possam receber o remédio necessário para a sua saúde, seus lares, para as doenças, para tudo que envolve o planeta nesse instante.

Que Jesus nos abençoe. E encerrando essas reflexões nesta manhã, vamos direcionar o nosso pensamento a deus nosso pai, aquele que é o senhor de nossas vidas, criador de tudo e de todos.

E amparados por Jesus porque ele diz que ele é o caminho, ele é a verdade, ele é a vida. Então vamos nos dirigindo a deus, encerrando.

Com a oração que o mestre nos ensinou, essa oração universal, abrangendo todos os povos da terra, nós vamos dizendo, pai querido.

Pai nosso que estais no céu, santificado seja o vosso nome, venha a nós o vosso reino, seja feita a vossa vontade, aqui na terra como nos céus.

O pão nosso de cada dia nos dai hoje, perdoai as nossas dívidas, assim como nós perdoamos os nossos devedores, mas não nos deixes cairmos em tentações, livrando-nos de todo mal, porque teu é o reino, poder e glória para sempre. Que assim seja.

Que tenhamos todos, momentos de muita paz, de muito amor, de muita fraternidade, graças a deus.